O Santo Sacrifício da Missa
  • A Missa é um verdadeiro sacrifício. Qual? O sacrifício oferecido por Jesus Cristo, sacerdote eterno, ao morrer na Cruz sobre o monte Calvário, há cerca de dois mil anos. Jesus não morre mais, Ele venceu a morte para sempre. Por isso a Missa não pode ser um novo sacrifício, mas o mesmo.– Dom Lourenço Fleichman, OSB

  • Mas a Missa é também um sacramento. Isto significa que aquele único e mesmo sacrifício do Calvário nos é apresentado sob a forma de sinais sensíveis (a consagração do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Senhor) apropriados para atravessar todos os séculos da existência da Igreja.– Dom Lourenço Fleichman, OSB

  • Quando estudamos todas as partes do Sacrifício da Missa, constatamos que, de fato, o rito litúrgico é um verdadeiro sacrifício. De um modo maravilhoso a Igreja soube realizar um sacramento, ou seja, realizar por sinais sagrados o dramático acontecimento do Calvário, trazendo até nós toda a realidade da morte redentora de Cristo, porém sem a chocante imagem de Nosso Senhor morto diante de nós.– Dom Lourenço Fleichman, OSB

  • Esta visão de Jesus pendurado na Cruz, de Nossa Senhora de pé, ao seu lado, sofrendo o martírio de ver seu Filho naquele estado, seria para nós uma graça infinita. Mas nossa fraqueza não nos permite assistir a isso todos os domingos. Nós acabaríamos tendo medo de ir à Missa! Além disso, a Missa é o mistério da morte de Cristo, sim; mas da Paixão unida à Ressurreição. Um sacrifício que termina na vitória. Se, em cada Missa, víssemos Jesus morto na Cruz, poderíamos pensar que tudo terminou na morte.– Dom Lourenço Fleichman, OSB

  • Assim, cheio de amor por seus filhos, Nosso Senhor realiza a Missa através das espécies do pão e do vinho. Agora sim, podemos viver deste Santo Sacrifício, podemos receber o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus sem medo, sem drama, sem temores, pois Ele se fez alimento para nós, Ele saciou nossa sede com seu Sangue escondido sob as espécies do vinho.– Dom Lourenço Fleichman, OSB