Durante 22 anos, entre 1968 e 1990, a Revista Permanência levou a todo o Brasil a doutrina católica íntegra e pura. Numa época em que os desmandos do Concílio Vaticano II tentavam arrastar e destruir toda a Tradição, nossa pequena Revista insistia em falar a linguagem dos santos e dos doutores católicos. Apresentamos, nesta nova fase, o número 287.

COMPRAR ONLINE


Preço: R$ 32,00

Descrição Completa


Além de analisar a presença da Permanência na Peregrinação Internacional a Fátima, para festejar os 100 anos das aparições da Virgem Maria, este número da nossa Revista Permanência conta um pouco a vida no Seminário da Fraternidade São Pio X na Argentina, onde mais 3 brasileiros serão ordenados sacerdotes, em dezembro próximo. O Pe. Gleize, da Fraternidade, expõe a verdadeira face de Lutero, num profundo estudo sobre o heresiarca que quebrou a Cristandade há exatos 700 anos. Outro padre da Fraternidade, dessa vez Dominique Bourmaud nos fala sobre três grandes cardeais do século XX, que distinguiram a Santa Igreja com doutrina segura, combate anti-liberal e a defesa da fé católica: Card. Merry del Val, sob São Pio X; Card Billot, sob Pio XI, e Card Ottaviani, sob João XXIII e Paulo VI. Fecha esse número o trabalho do Pe. Sardá y Salvany sobre a mortificação. Ao todo, 146 páginas com a profundidade já conhecida dos nossos leitores.
• A PERMANÊNCIA NO CENTENÁRIO DE FÁTIMA – Editorial
• NO CORAÇÃO DE UM SEMINÁRIO CATÓLICO – Diácono da FSSPX
• A VERDADEIRA FACE DE LUTERO – Pe. Jean-Michel Gleize – FSSPX
• FILOSOFIA DA MORTIFICAÇÃO – Pe. Félix Sarda y Salvany
• TRÊS CARDEAIS – Pe. Dominique Bourmaud – FSSPX
• CALENDÁRIO LITÚRGICO.

“Permanência constitui uma dramática exceção. É uma das raras, raríssimas revistas católicas feitas por católicos e não pelos inimigos da Igreja. Vive e sobrevive graças ao esforço abnegado e solitário de uma meia dúzia. E, sem meios promocionais, é pouquíssimo conhecida. Imagino que você, milionário, diga: ”Eu nunca a li.” E outros dirão: “Nem eu, nem eu.” Não importa que ninguém a tenha lido. Mesmo sem um único leitor, Permanência precisa existir, continuar, não morrer.” (Nelson Rodrigues)

<< retornar ao catálogo